Arquivo da categoria: Agências e cursos

Links e descrição de diversas agências missionários e cursos espalhandos pelo Brasil e pelo mundo.

Curso Formação de Consciência Missionária, 8-9 de julho 2011

Mais informações, aqui: http://www.cem.org.br/site/cursos/curta-duracao/cfcm/

Especialização Lato Sensu em Antropologia Intercultural

PÓS GRADUAÇÃO EM ANTROPOLOGIA INTERCULTURAL (2012)
Área de Conhecimento (CNPQ): 7.03.01.00-00 – Antropologia

Temos o prazer de informar a abertura das inscrições para a ESPECIALIZAÇÃO LATO SENSU EM ANTROPOLOGIA INTERCULTURAL a ser realizada em Manaus, Amazonas.
Este curso é uma iniciativa da parceria entre a UNIEVANGELICA e o INSTITUTO ANTROPOS e tem como principal alvo investir na qualificação de missionários, pastores e pesquisadores a frente de projetos e ministérios, sobretudo em ambiente intercultural.

É uma PÓS GRADUAÇÃO:

· Em sistema modular a fim de proporcionar maior oportunidade para quem não reside em Manaus
· Organizada em 6 disciplinas, com um total de 375 h/a e orientação para o desenvolvimento do trabalho final (TCC)
· Ministrada por professores mestres e doutores em suas áreas de estudo

Disciplinas:

· Metologia Científica – Prof. Dr. Eliseu Vieira Machado Júnior
· Teoria Antropológica – Prof. Dr. José Roberto Bonome
· Antropologia da Religião – Prof. Dr. Alfredo Ferreira de Souza
· Antropologia Aplicada –Profa Dra Keila Pinezi
· Antropologia dos Povos Tradicionais da Amazônia – Prof. Dra. Maria do Perpétuo Socorro Rodrigues Chaves
· Etnologia Indígena –Prof. Ms. Edward Mantoanelli Luz

Coordenação: Prof. Dr. Ronaldo Lidório

Datas:
As 6 disciplinas serão ministradas em dois blocos:
1º Bloco: 5 a 23 de março de 2012 (3 disciplinas e orientação do TCC)
2º Bloco: 10 a 28 de setembro de 2012 (3 disciplinas e orientação do TCC)

Investimento:

– R$ 200,00 (Para finalização da Inscrição)
– 4 prestações de R$ 200,00 durante o curso (março, abril, maio, junho de 2012)

Pre-requisitos:
· Terceiro grau completo para o certificado de Especialização lato sensu em Antropologia Intercultural – emitido pela UNIEVANGELICA
· Segundo grau completo para o certificado de Antropologia Intercultural – Curso por Extensão – emitido pela UNIEVANGELICA
· Preenchimento de ficha de inscrição e ficha de informação complementar

Inscrição:

1. Solicitar e preencher as fichas de inscrição. Envia-las preenchidas para a comissão de seleção: Email: equipe.antropos@terra.com.br
2. Aguardar receber a confirmação de sua vaga. Após a confirmação, favor enviar via email (para: equipe.antropos@terra.com.br) os seguintes documentos (anexados ou escaneados):
a) Cópia do RG e CPF
b) Currículum Vitae
c) Foto 3×4 recente
d) Cópia do diploma de Graduação
e) Comprovante de pagamento da taxa de inscrição (R$ 200,00), que pode ser feito em um dos bancos relacionados, em favor da UniEvangelica:

Banco do Brasil – CC 5099-7 Agência 3388-X
Banco Real – CC 2708228-5 Agência 0015

Local: Manaus/AM

Informações e Programa Geral do Curso:
· Site: www.instituto.antropos.com.br (sessão Cursos)

· Email: equipe.antropos@terra.com.br

Portas Abertas

Portas Abertas é um ministério com características próprias dirigido à Igreja Perseguida, o único com mais de trezentas organizações associadas no mundo todo desenvolvendo projetos significativos nas linhas de frente em cerca de 50 nações.

Desde 1955, Portas Abertas realiza programas completos e de grande influência em muitos dos países onde os cristãos sofrem por sua fé em Jesus Cristo.

Conheça mais em: http://www.portasabertas.org.br

CENTRO DE FORMAÇÃO MISSIOLÓGICA 2011 [APMT]

Mais informações: http://www.apmt.org.br/

HORÁRIO DE AULA

SEGUNDA TERÇA QUARTA QUINTA SEXTA
8h00m / 12h 8h00m / 12h 8h00m / 12h 8h00m / 12h
Intervalo Intervalo Intervalo
13h / 17h 13h / 17h 13h / 17h 13h / 17h
Livre Livre Livre Livre
MÓDULO PERÍODO PROFESSOR
Introdução à Missiologia 28.02-04.03.2011
Panorama da Missão 14-18.03.2010
História das Missões 28.03-01.04.2011
Missão Integral 11-15.04.2011
Teologia Bíblica de Missão 25-29.04.2011
Vida e Caráter do Missionário 09-13.05.2011
Teologia Contemporânea de Missão 23-27.05.2011
Evangelismo 06-10.06.2011
Fenomenologia da Religião 01-05.08.2011
10º Antropologia Cultural 15-19.08.2011
11º Lingüística 29.08.02.09.2011
12º Comunicação Transcultural e Contextualização 12-16.09.2011
13º Estratégias e Metodologias Missionárias 26.09-30.09.2011
14º Crescimento de Igreja 17-21.10.2011
15º Desenvolvimento de Liderança e Elaboração de Projetos 07-11.11.2011
16 º Missão Urbana 21-25.11.2011

Estágio: 20 – 09.07.2011. IP do Uruguai- Montevideo.    Formatura: 25 de novembro.

Curso de Linguística e Missiologia [CLM/ALEM]

Objetivo

Link: http://www.missaoalem.org.br/clm/cursos.html

O Curso de Linguística e Missiologia (CLM) tem como objetivo capacitar pessoas para aprenderem uma ou mais línguas, desenvolverem trabalhos nas áreas de linguística, antropologia, educação intercultural, tradução das Escrituras e evangelização em contexto transcultural.

Habilitações

O CLM é um treinamento específico que permite ao aluno desenvolver a habilidade de identificar-se com uma nova cultura e aprender novas línguas, inclusive aquelas nas quais ainda não existe sistema escrito.

O Curso é dividido em quatro Módulos:

Modulo Básico /Modulo Intermediário /Modulo do Campo /Modulo Avançado

Esses quatro módulos envolvem duas habilitações:

Habilitação em Análise Linguística e Tradução

– Destinada a pessoas que se sintam chamadas para trabalhar com análise de línguas e/ou tradução da Bíblia.

Habilitação em Educação e Linguística

– Destinada a pessoas que pretendam se envolver com atividades educacionais em contextos multiculturais e/ou que desejem aprender adequadamente uma nova língua.

Corpo docente

O corpo docente é formado por missionários e cooperadores nacionais e estrangeiros da ALEM, da SIL e de outras organizações parceiras. No geral, esses docentes possuem experiência ministerial, de campo, acadêmica, pedagógica e atuam em seu cotidiano nas disciplinas que ministram no CLM. Eles possuem graduação, mestrado ou doutorado nas áreas de antropologia, educação, linguística, missiologia, teologia e tradução.

Local e estrutura física

Os módulos básico, intermediário e avançado são ministrados no Centro de Treinamento da ALEM – CTA, na chácara 04 do Núcleo Habitacional Esperança, da Granja do Torto, em Brasília, próximo ao Parque Nacional de Brasília, região representativa da flora e fauna nativas do cerrado brasileiro.
A sede da ALEM dispõe de uma ampla biblioteca com mais de 6.000 volumes dentro das áreas de interesse de seu ministério, sala de aula equipada com recurso multimídia, sala de informática com acesso à internet, refeitório para 80 pessoas, alojamentos para casais e solteiros e campo de futebol.
O módulo de campo denominado de Acampamento de Treinamento Transcultural na Selva (ATTS) é realizado em uma ilha do rio Xingu, no estado do Pará, próximo a duas aldeias indígenas.

Duração do curso e carga horária

O CLM tem duração de 11 meses. As aulas têm início em janeiro e se encerram no mês de novembro. O CLM é intensivo, com aulas pela manhã, à tarde e à noite, de segunda a sexta-feira.

Custos

O custo total do CLM é de 22 salários mínimos (vigente) divididos em 11 parcelas, por pessoa. Esse valor cobre alimentação, hospedagem e material didático.

Pela natureza intensiva do curso, casais com filhos devem contratar uma babá e se responsabilizar pelo custo financeiro da contratação.

Trabalhos Gerais

O CLM não possui empregados. Por isso, há trabalhos que os alunos devem fazer para manter em ordem os espaços utilizados pelo curso, como limpeza de salas de aula, dormitórios, refeitório, banheiros etc. Além disso, devem preparar as refeições nos finais de semana.

Inscrições e Pré-requisitos

As inscrições iniciam em junho do ano anterior ao pretendido. Para ingressar no CLM, é necessário ter 18 anos de idade completos até a data do início do curso e ter concluído o ensino médio. Recomenda-se que o candidato tenha realizado um curso bíblico ou teológico. Para processar a inscrição, são necessários os seguintes documentos:
1) Ficha de inscrição preenchida;
2) Cópia do certificado de conclusão do Ensino Médio ou Superior;
3) Uma foto 3×4;
4) Cópia de Registro Geral (RG), frente e verso;
5) Carta de recomendação da Igreja atestando chamado missionário do candidato e, se for o caso, firmando seu compromisso quanto ao sustento financeiro de seu enviado;
6) Pagamento da taxa de inscrição

MEAP – Missão Evangélica de Assistência aos pescadores

Link: http://meap.backsite.com.br/home.asp


Formada por líderes evangélicos de diferentes denominações históricas, com o objetivo de atender especificamente as necessidades deste povo, tão isolado e tão pouco evangelizado em todo o litoral brasileiro, em 1986 nasce a MEAP.

Havia densas trevas espirituais sobre as mais de sessenta vilas de pescadores artesanais existentes na região lagunar entre Iguape (SP) e Paranaguá (PR). O crescimento das  seitas e o sincretismo religioso, confundindo-se com a cultura, faziam deles um povo totalmente sem esperança.

Foi então que, em 1980, o missionário Jaime Orr começou a fazer os primeiros contatos com aquelas comunidades, navegando pelos canais de mar a bordo de um pequeno barco: o Mensageiro II.

Em 1981 Jaime compartilhou, no Seminário Bíblico Palavra da Vida, a necessidade de obreiros para evangelização dos pescadores. Os alunos Márcio e Damaris foram então movidos por Deus para atender àquele apelo.

Em fevereiro de 1984, depois de dois anos ministrando aos pescadores nos finais de semana e férias, Pr. Márcio e Damaris Garcia, agora casados, uniram-se ao casal Jaime e Carmen, dando início ao trabalho de plantação de igrejas entre os pescadores artesanais naquela região.

Perceberam rapidamente que não estavam tratando com uma região geográfica, mas sim com um grupo cultural.

Após algumas pesquisas, confirmando a existência de milhares de vilas de pescadores em nossa costa marítima, decidiram, em comunhão com um grupo de mantenedores que tinha a mesma visão, fundar uma agência missionária para promover o avanço da obra com aquele povo.

Nasceu então, em 1986, a MEAP – “Missão Evangélica de Assistência aos Pescadores” – em Santos (SP), formada por líderes evangélicos de diferentes denominações históricas, que teria por objetivo atender especificamente as necessidades deste povo, tão isolado e tão pouco evangelizado em todo o litoral brasileiro.

Missão ALEM (Associação Linguística Evangélica Missionária)

Link: http://www.missaoalem.org.br/index.php

A ALEM no cenário evangélico brasileiro

O alvo da Associação Lingüística Evangélica Missionária – ALEM é glorificar a Deus através de seu ministério de tradução das Escrituras, da implantação de igrejas nas áreas onde atua e do treinamento de obreiros. A ALEM foi fundada em 1982 e, nesses seus 26 anos de existência, tem contribuído significativamente com o movimento missionário evangélico no Brasil. Neste folheto, mostramos quem somos e o que temos realizado para a glória de Deus.

Conplei

A partir de 1991, membros da ALEM, com apoio financeiro da SIL – Sociedade Internacional de Lingüística, incentivaram e colaboraram nas reuniões de fundação do Conselho Nacional de Pastores e Líderes Evangélicos Indígenas (Conplei), que se concretizou extra-oficialmente em 1993. Atualmente, as assembléias do Conplei mobilizam mais de mil indígenas, provenientes de dezenas de diferentes etnias, até mesmo do exterior. Também congrega dezenas de não indígenas, oriundos de diferentes denominações e de diversas organizações missionárias, nacionais e internacionais.

Treinamento

Em 1983, a ALEM começou a dirigir o Curso de Lingüística e Missiologia (CLM), antigo Curso de Metodologia Lingüística (CML) organizado oficialmente pela SIL em 1973. Missionários e candidatos a missões de diversas organizações missionárias estudaram no CLM. Entre essas instituições encontram-se: Missão Antioquia; Missão Kairós; Junta Administrativa de Missões (JAMI), da Convenção Batista Nacional (CBN); Junta de Missões, da Convenção Batista Brasileira (CBB); Agência Presbiteriana de Missões Transculturais (APMT), da Igreja Presbiteriana do Brasil (IPB); Missão AMEM; Projeto Amanajé; AMIDE; Missão Horizontes; União das Igrejas Evangélicas da América do Sul (UNIEDAS); Missão Evangélica da Amazônia (MEVA); Missão Evangélica Índios do Brasil (MEIB) e SIL. O total de alunos chega quase a sete centenas.

Ex-alunos do CLM no cenário evangélico

Por mérito de Deus, pelo esforço de diversas instituições de ensino, por dedicação própria e pela relevância de seus ministérios, alguns ex-alunos do CLM tornaram-se conhecidos no cenário evangélico, entre os quais: Bráulia Ribeiro (JOCUM), Márcia e Edson Suzuki (ATINI e JOCUM), Ronaldo Lidório (Projeto Amanajé, AMEM), entre outros. Países de origem dos alunos do CLM O CLM tem recebido alunos principalmente do Brasil. Porém há estudantes que procedem de outros países, como: Japão, Coréia do Sul, Nova Zelândia, México, Costa Rica, Peru, Alemanha, Bolívia, Venezuela, Inglaterra, Estados Unidos, Argentina, Angola e Guiné Bissau. Para 2010, há um candidato da Finlândia.

Indígenas no CLM

Entre seus objetivos, o CLM visa preparar pessoas para pesquisa e trabalho de campo entre povos minoritários ao redor do planeta. Nada mais natural que representantes dessas comunidades também cursassem o CLM. Assim, alguns membros de povos indígenas brasileiros, em oportunidades diferentes, fizeram o CLM. Os povos representados são: Makuxi, Tikuna, Tukano, Terena e Xikrin- Kayapó.

Instituições acadêmicas de alguns ex-alunos do CLM

O CLM é um curso aberto a todas as pessoas que têm interesse em pesquisa e trabalho de campo entre as diferentes etnias ao redor do mundo. Assim, alunos universitários de graduação, mestrado e doutorado já fizeram esse curso. Alguns desses estudantes se tornaram docentes em instituições acadêmicas, como: Universidade de São Paulo (USP), Universidade Federal de Mato Grosso do Sul (UFMS), Universidade Católica de Brasília (UCB), Universidade Estadual do Amazonas (UEM), UniCeub e Pontifícia Universidade Católica do Rio Grande do Sul (PUCRS).

Instituições atendidas por docentes da ALEM-CLM

Diversas instituições evangélicas possuem seus próprios cursos de preparo para missões transculturais e algumas delas já solicitaram docentes da ALEM-CLM. Entre essas organizações, temos: Missão Antioquia, Missão Kairós, JAMI, JUVEP (João Pessoa), Instituto Bíblico do Norte (IBN-Garanhuns), Junta Batista Brasileira, Seminário Pentecostal do Recife, Palavra da Vida do Pará, Centro Evangélico de Missões (CEM-Viçosa), Seminário Presbiteriano do Centro-Oeste (Goiânia), APMT, ALUMI (São Paulo) e Centro de Entrenamento Missionero (Bolívia).

Projetos da ALEM

A ALEM desenvolve projetos de Tradução, Educação Intercultural e/ ou Desenvolvimento Auto-Sustentável entre diversos povos no Brasil, entre os quais: Dâw, Tukano, Arara, Assurini, Parakanã, Aikaná, Yanomami, Yuhup, Kaiwá, Tembé, Guajajara e Nambikwara. Há também projetos na Índia e Guiné Bissau, África (povo Mansonka).

Parcerias

Na realização de suas atividades, a ALEM mantém convênio ou acordos, formais e/ou informais, com outras instituições, tais como: Missão Antioquia, JAMI, APMT, Asas de Socorro, SIL-Wycliffe e Missão Kaiwá.

Formação dos missionários da ALEM

Todos os missionários da ALEM possuem, no mínimo o ensino médio, e têm formação nas áreas bíblica e teológica. A maioria tem graduação nas áreas de Letras, Pedagogia, Ciências Sociais, História, Agronomia, Enfermagem, Teologia, Medicina; dentre esses, alguns possuem pós-gradução, nas áreas de Linguística, Antropologia, Pedagogia, Psicopedagogia, História, Teologia e Missiologia.

Produção/Publicações de membros da ALEM

A ALEM possui seu próprio periódico, intitulado de “ALEM em Notícias”, contendo notícias e artigos de seus missionários. Por outro lado, alguns membros da ALEM têm publicado artigos em diversos periódicos evangélicos (não estão citados aqui os trabalhos acadêmicos), entre os quais:
– revista “Ultimato”: Pr. Rinaldo de Mattos, Isaac Souza, Pr. Norval Silva, Pr. José Carlos Alcântara da Silva e Elias Assis;
– “Mensagem da Cruz”: Norval Silva (Editora Betânia);
– revista “World Evangelization”: Isaac Souza (Lausanne Committee for World Evangelization, março de 1994);
– revista “Iglesia y Misión”: Isaac Souza (Kairos Ediciones, editor: René Padilha);
– “Jornal Missionário”: Isaac Souza (JAMI); jornal “Transformação: Isaac Souza (Visão Mundial);
– revista “Visão Missionária”: Dalva Del Vigna (SEMAP, Assembléia de Deus);
– livro “Indígenas do Brasil: avaliando a missão da igreja”: Pr. Rinaldo de Mattos, Pr. Norval Silva e Pr. José Carlos Alcântara da Silva (Editora Ultimato, Ronaldo Lidório(Org.));
– revista “Povos”: Pr. José Carlos Alcântara da Silva;
– revista “A Bíblia no Brasil”, da Sociedade Bíblica do Brasil: Pr. José Carlos Alcântara da Silva;
– livro “De Todas as Tribos”: Isaac Souza, com um artigo de Norval Silva (Editora Ultimato, 1996). Este livro foi traduzido para o espanhol pelo COMIMEX (COMIBAM do México);
– livro “Indígenas do Brasil II”: diversos autores, entre eles Pr. Norval Silva e Isaac Souza (Editora Ultimato, Ronaldo Lidório e Isaac Souza (Orgs) – no prelo).

Muitos dos artigos publicados pelos membros da ALEM foram pioneiros na maneira como abordaram a questão missionária indígena. O livro “De Todas as Tribos” foi o primeiro a tratar a problemática de missões indígenas de uma perspectiva crítica em termos das acusações feitas contra os missionários.

Um resultado exemplar

Quando missionários da ALEM iniciaram trabalhos entre uma etnia da Amazônia, esse povo não possuía terra onde morar. Viviam mendigando nas ruas de São Gabriel da Cachoeira, pois muitos membros da comunidade eram viciados em bebida destilada, incluindo cachaça, álcool farmacêutico, desodorante etc. O índice de mortalidade infantil era alarmante. Com o auxílio de uma Igreja Presbiteriana em Brasília, os missionários compraram um espaço territorial onde o povo passou a habitar, adquiriram um barco através do qual implementaram um projeto de desenvolvimento auto-sustentável de coleta e venda de piaçaba. Os missionários atuaram na área de saúde, elaboraram um alfabeto para a língua indígena, produziram material de alfabetização e de leitura, iniciaram educação escolar e, com a participação de outros missionários da ALEM que ingressaram posteriormente no projeto, traduziram porções do Novo Testamento e iniciaram uma igreja. Por conta disso, a taxa de natalidade voltou ao normal, a mendicância desapareceu, a embriaguês praticamente acabou, muitos foram alfabetizados e vários entre eles se converteram. Os membros desse povo dispensaram o termo pejorativo pelo qual eram conhecidos, Kamã (significando “capotado” de tanto estar embriagado), e adotaram um outro que refletia mais sua dignidade humana, Dâw (com sentido de “gente”). Esse povo era até mesmo discriminado por outras comunidades indígenas e era explorado por elas como mão-de-obra barata. Um dia, um casal pertencente a uma dessas comunidades foi passar um feriado entre os Dâw. Antes de deixar a área, o homem perguntou ao missionário que os havia levado para lá: “A festa Dâw é sempre assim? Eles não ficam bêbados, não se batem e nem se matam?” O missionário respondeu que sempre era assim: sem álcool, sem briga e sem morte. O indígena exclamou: “os Kamã (capotados, bêbados) somos nós!” Aí pediu que o missionário desse ao seu povo o mesmo remédio que fora dado aos Dâw para que também mudassem de vida. Até mesmo os mais críticos opositores reconhecem o valor da presença missionária entre a etnia indígena Dâw. Deus seja louvado!

(De: “A ALEM no Cenário Evangélico Brasileiro”)”

Southal School of Languages & Missionary Orientation

Link: http://www.sslmo.com/

“Southall School of Languages and Missionary Orientation is a very special place and unique in many ways. As you look through the website I believe you will appreciate the outstanding qualities and unique experience that only a place like Southall can offer.

Many students have attended the school for a whole variety of reasons not least because of the care that the school offers and the real sense of community. Southall is a family and all the staff and those related to the school have a commitment to the students and their families.

We believe that learning does not just take place in the classroom. We offer an experience of understanding and diversity within the multicultural setting of the school and the community as a whole. You will develop an understanding of many cultures both within the school setting, the church and in Southall. With the benefit of many nationalities and cultures so close at hand learning about the world and all those other cultures have to offer is an exciting and educational experience.


The main emphasis at Southall School of Languages and Missionary Orientation is to provide each  student with a unique opportunity to grow and achieve their full potential.  As a non profit making charity our fees are kept deliberately low.  It is our aim to enable all students to fulfil their potential, whatever their background.  Therefore we keep our tuition fees low to enable that to happen.  We appreciate that many students wish to come to the UK to study but are unable to so because of the prohibitive cost of tuition fees. Therefore we have made a conscious decision to keep our fees as low as possible to enable students make the most of their studies in the UK.  We are a non profit making charity and our emphasis is in growth for the student rather than profit.

Recently inspected and accredited by the British Council and British Accreditation Council we are proud that our level of care for the individual student  goes beyond the requirements set out by those inspecting bodies. We are thrilled to be able to maintain a professional and fully qualified teaching staff with the main emphasis on quality and care for every student.

Over the last 21 years it has been a privilege and honour to serve both local students and students from all over the world. Students from all backgrounds have had the unique opportunity to study at Southall School of Languages and Missionary Orientation using this learning experience to fulfil their full potential.

Southall School of Languages and Missionary Orientation is a unique school, offering exciting opportunities to enable you to fulfil your full potential for the future within this vibrant community. I look forward to welcoming you to Southall.

Boyd V Williams”

Missão Antioquia


Link: www.missaoantioquia.com”

“MISSÃO ANTIOQUIA – DO BRASIL PARA O MUNDO

Era o começo da década de 70 e falar para a Igreja Brasileira que ela podia e deveria enviar missionários a outros países parecia algo absurdo. A desculpa de sempre – há muito a ser feito aqui – era a principal. Os brasileiros não se achavam maduros suficientes para a tarefa. Quando a missionária Bárbara Burns, uma jovem americana veio para o Brasil para implantar a visão missionária, deparou-se com essa e outras barreiras. Todavia, se Deus chama, Deus garante.

A prisão de um missionário brasileiro em Moçambique nas mãos dos comunistas seria o episódio que daria origem à primeira agência missionária interdenominacional no país. Um grupo de oração se formou em favor daquele jovem. Preso pelos comunistas, ele ficou durante nove meses na prisão. Outros estudantes passaram a se reunir para orar incessantemente pela libertação do rapaz – e o coração deles se abriu para o mundo! O Espírito Santo mostrou-lhes que não era somente aquele jovem que devia pagar o preço para que o povo moçambicano conhecesse a Cristo, mas que muitos outros missionários deveriam fazer o mesmo e não somente em Moçambique, mas em muitos outros lugares. Nascia no coração do Pr. Jonathan Ferreira dos Santos e no coração do Pr. Décio Azevedo a Missão Antioquia. Era o ano de 1976.

Do norte do Paraná onde nasceu, ela viria para São Paulo na década de 80 e depois seria transferida para o Vale da Bênção, em Araçariguama, interior do Estado, onde está estabelecida atualmente. Nesses mais de 30 anos a Missão Antioquia não apenas enviou centenas de missionários para diversos países do mundo. Ela contribuiu de forma significativa para despertar na Igreja Brasileira a consciência missionária. Como pioneira, abriu o caminho a outras agências que têm contribuído para levar o evangelho do Brasil para o mundo.

A visão da Missão Antioquia é promover transformação através do Evangelho, em áreas negligenciadas de Palavra e obra. Com missionários principalmente em áreas como menos de 1% de crentes, a missão tem procurado agir conforme a visão proposta. Hoje a Missão Antioquia se encontra na África, Oriente Médio, América Latina (Área Indígena), América Central e Europa, todos em campos bastante carentes, tanto espiritual quanto socialmente falando.

A instituição tem procurado se envolver com missões de uma forma integral, reconhecendo as diversas necessidades mundiais. Por isso procura desenvolver ministérios diferentes, como apoio a imigrantes, testemunho cristão, implantação de igrejas, treinamento, apoio a igrejas e projetos sociais. Isso tem permitido à Missão um alcance significativo, mesmo em áreas aparentemente fechadas.

O Curso de Preparação Missionária

Desde que foi fundada, uma das preocupações da Missão foi investir em treinamento, capacitando os candidatos para o campo. Ao longo desses anos, foram mais de 300 missionários treinados para enfrentar as diversas dificuldades do trabalho missionário. Além da ampla e profunda abordagem teórica, todos os alunos do curso passam por atividades de prática missionária, tanto no Brasil como em outra cultura diferente.

O Curso de Preparo Missionário – CPM – oferecido pela Missão Antioquia tem cinco meses de duração, com início em fevereiro. Quatro meses são destinados a aulas teóricas e práticas e, no quinto mês, os alunos fazem um estágio transcultural supervisionado em um país da América Latina. Em julho é feita uma avaliação geral.

O CPM desperta o interesse por missões transculturais e equipa o aluno para comunicar o Evangelho em outra cultura. Nosso programa inclui matérias específicas, tais como: Teologia Bíblica de Missões, História de Missões, Fenomenologia da Religião, Antropologia Cultural, Contextualização, Noções de Linguística, Vida do Missionário e outras. Há também treinamento para levantamento de recursos pessoais a serem enviados ao campo e experiências práticas de evangelismo em grupo.
O CPM é realmente intensivo. Exige muito do aluno em termos de leituras e pesquisas.
O programa do curso também é desenvolvido com o objetivo de levar o aluno a uma disciplina de oração, jejum e leitura bíblica.

A conferência missionária

Todos os anos, no Vale da Bênção, a Missão Antioquia realiza uma conferência missionária, quando tem oportunidade de apresentar seu trabalho para os participantes, oriundos de todas as partes do Brasil. Nessa ocasião, missionários que atuam em áreas diferentes compartilham suas experiências e conhecimento.
Através desse evento a igreja é desafiada de forma incisiva a tomar posição diante de um mundo perdido. É um acontecimento ímpar que tem despertado crentes, pastores e igrejas para a obra missionária.

Projeto Férias

O Projeto Férias, um empreendimento anual realizado pela Missão Antioquia, pretende possibilitar uma experiência missionária transcultural prática de curto prazo a jovens e adolescentes membros de igrejas evangélicas, seminaristas, pastores e profissionais liberais. Coloca os participantes em contato com outras culturas, através de um impacto de evangelismo dinâmico e produtivo em cidades carentes do evangelho. É realizado um evangelismo pessoal através de abordagem individual, evangelismo em praças, ruas, feiras, parques, grupos de teatro e dança.
Através desse trabalho é possível presenciar uma igreja nascer ou crescer. É um trabalho com ministérios específicos de implantação de igrejas em áreas carentes, e também de cooperação com igrejas locais já estabelecidas desejosas de uma cobertura estratégica de evangelização.

Parcerias

A missão Antioquia trabalha em parceria com as Igrejas que possuem visão missionária e estão em busca de auxílio para realizar o “Ide” de Jesus. São vários ministérios de muitas partes do Brasil, trabalhando com a Antioquia para viabilizar o envio, o sustento e toda assessoria necessária para que os enviados realizem a obra para que foram chamados, no lugar onde foram chamados.
Além da parceria com igrejas, também foram estabelecidas parcerias com outras agências missionárias, tornando o trabalho mais dinâmico e eficaz.
Graças a essa parceria, igrejas e missões de pequeno, médio e grande porte têm pessoas expandindo o Reino de Deus em lugares distantes do globo, realizando uma tarefa difícil de realizar sozinhas. Conforme um dos slogans da última Conferência Missionária, realizada em outubro/novembro de 2009 – Juntos Para Transformar!

Geração Antioquia

O Geração Antioquia tem como objetivo conscientizar jovens e seus líderes de todo o Brasil sobre a necessidade de conhecerem, aprofundarem-se e se comprometerem com missão integral. No mundo de hoje a voz da juventude não pode ser ignorada. Com a expansão da comunicação global e da tecnologia da informação, os jovens não são apenas os mais afetados como também são o meio mais importante de impacto sobre a cultura global e, conseqüentemente, sobre o futuro.
O Geração Antioquia quer estimular jovens a proclamarem o Evangelho a todo homem e ao homem todo em todo lugar. Deseja incentivar jovens a espalhar as boas novas da salvação e a também levar alívio aos que sofrem, buscando justiça e meios de uma vida digna.
Por ocasião da Conferência Missionária, uma conferência dirigida principalmente aos jovens é realizada também, sustentando os mesmos objetivos, mas buscando falar a linguagem deles.

Corações Missionários

A missão dispõe de uma equipe de base apaixonada por missões. Muitos deles já tiveram a experiência de estar no campo e por isso entendem a mente e o coração dos missionários, bem como as necessidades do mundo. Enquanto Jesus não voltar, o objetivo dessa equipe é continuar trabalhando para enviar, orientar, suprir e auxiliar a Igreja de Jesus nos quatro cantos da terra. Como disse o pastor Silas Tostes, diretor da Missão Antioquia: “Juntos, trabalharemos pela transformação através do Evangelho em áreas negligenciadas de Palavra e obra. “Porque dele, e por meio dele, e para ele são todas as coisas. A ele, pois, a glória eternamente. Amém!” (Romanos 11:36).”

Fronteiras Brasil

Link: http://www.fronteirasbrasil.org.br/

“Fronteiras Brasil faz parte de Frontiers International que é uma organização sem fins lucrativos, que recruta, envia e atua entre os povos do mundo muçulmano com equipes de pessoas comuns.  Nossos membros atuam através de negócios, desenvolvimento social da comunidade e outros serviços capazes de ajudar a prover recursos e conhecimento, com amor e respeito por aqueles que passam por necessidades.

Esta é uma organização única. Trabalhamos em comunidade (equipe), somos enviados por comunidades (organizações e igrejas) e vivemos em comunidades (mulçumanos). Conheça nossa história, nossos valores, nossa filosofia de trabalho e o que nos faz únicos e unidos como equipe, para que você possa saber mais sobre a visão e propósito da Fronteiras.

Nós estamos recrutando novos líderes e membros para ir até o mundo Muçulmano hoje – especialmente para aqueles lugares onde o amor de Jesus ainda não é conhecido. Fronteiras também ajudará a preparar nossos membros para o serviço e a envolvê-los de modo eficaz para sejam bem-sucedidos nas tarefas em que atuarem. Se esse é o seu desejo – já estamos na estrada… Você quer se juntar a nós?”